COMEÇOU ONTEM, VALE A PENA ASSISTIR.

2 de julho de 2012

taís araújo apresenta ‘mad maria’ na nova temporada do faixa comentada

A partir de hoje, o Canal Futura reexibe a minissérie “Mad Maria”, com direção de Ricardo Waddington e José Luiz Villamarim, sobre construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, no norte do Brasil, entre 1907 e 1912.

A nova temporada do Faixa Comentada, que vai ao ar de segunda a quinta-feira, às 23h, conta agora com a apresentação da atriz Taís Araújo. Os 35 episódios, de 50 minutos cada, serão acompanhados de comentários sobre a cenografia, o  figurino, a fotografia, a preparação do elenco, as curiosidades da produção, a construção da narrativa e dos personagens. Por meio de entrevistas com profissionais e especialistas, o programa também abordará os aspectos históricos, literários e comportamentais da minissérie, exibida pela Rede Globo em 2005.

Baseada no romance homônimo de Márcio Souza, e adaptada para TV por Benedito Ruy Barbosa,“Mad Maria” retrata a extraordinária história que cerca a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. A ferrovia, que se estende por 366 km dentro da floresta amazônica, ligando Porto Velho a Guajará-Mirim, foi um dos maiores desafios arquitetônicos do século XX e contabilizou a perda de 1.522 homens, por conta das condições insalubres de trabalho, a má alimentação, os ataques de índios e de animais.

A narrativa é dividida em dois grandes núcleos principais, separados geograficamente – uma parte da história se passa no meio da Amazônia, durante a construção da estrada de ferro; e a outra trama tem, como pano de fundo, o Rio de Janeiro do início do século XX, então capital federal. Através desses dois cenários opostos, “Mad Maria” mostra o cotidiano dos homens que trabalharam duro para finalizar a ferrovia, contrastando-o com o glamour e efervescência da vida dos políticos e empresários da capital.

A minissérie teve uma superprodução e contou com um grande elenco da Rede Globo nos papéis principais, como Antônio Fagundes, Fábio Assunção, Ana Paula Arósio, Tony Ramos, Cássia Kiss, Fidelis Baniwa, Cláudia Raia e Juca de Oliveira.

QUANDO VER:

Faixa Comentada – Mad Maria
Estreia: 2 de julho
Segunda a quinta-feira, às 23h
Reprise: Domingos, à 0h
Duração: 50 min
Classificação: 16 anos

http://www.youtube.com/watch?v=WGisdXrQ1ws&feature=player_embedded

http://www.futura.org.br/tais-araujo-apresenta-mad-maria-na-nova-te...

Exibições: 1531

Responder esta

Respostas a este tópico

Maravilha!

Já vi e vou ver de novo.

Muito interessante.

Abraços.

Alguns episódios foram gravados em Passa Quatro - MG no Trem da Serra da Mantiqueira, a locomotiva 332 fez ponta como "Mad Maria": 

Legal pessoal.

Não sabia que haviam sido feitas gravações em outros lugares, valeu a informação.

Pena que está passando em um canal que a qualidade da imagem não é aquelas coisas, mas pelo menos estão passando.

Cansei de pedir para a Globo e a Viva reprisarem e nada.

Foi principalmente devido aos custos de realizar as filmagens nos locais originais.

Além das filmagens em Passa Quatro, diversas ferramentas ferroviárias mostradas nas cenas nos locais originais são ferramentas que foram cedidas pela ABPF.

Um detalhe incomum nessa filmagem é que foi exigido pelo autor da obra o uso de uma locomotiva Baldwin e não de outro fabricante. Foi a primeira (e única) vez que numa gravação solicitaram um modelo específico de locomotiva, geralmente os diretores / autores escolhem aquela que mais lhe agrada visualmente.

Cesar Blu disse:

Legal pessoal.

Não sabia que haviam sido feitas gravações em outros lugares, valeu a informação.

Pena que está passando em um canal que a qualidade da imagem não é aquelas coisas, mas pelo menos estão passando.

Cansei de pedir para a Globo e a Viva reprisarem e nada.

Bacana saber de todos esses detalhes.

Abraços a todos.

Verdade, espero ainda estar vivo para ver isto.

Abs

O duro é que até o Exército participou do desmonte da ferrovia...

Muitas locomotivas e equipamentos foram jogados na beira do Rio Madeira e sumiram.

Algumas já foram localizadas.

Era o início do poderoso lobby rodoviário...

Pois é, uma pena.

O pior de tudo é que, para montar um acervo ferroviário, tive que recorrer a peças do exterior, pois peças da RFFSA são raras!!! Tenho quepes de 10 países diferentes, mas nenhum da RFFSA. Capacetes de 20 ferpvias diferentes e apenas 1 da RFFSA!! Nem documentos e fotos são muito fáceis de serem achadas...

Calculei isso...

É igual quadro raro roubado...

Ninguém vê anunciado, mas tem emrcado negro pra tudo...

Uma pena... Enquanto isso vemos museus nacionais quase sem peças...

Ultimamente o DNIT tem agido sim, denunciando eles costumam ir averiguar. Pelo menos alguns casos aqui na região eles agiram.

Marcello Torres disse:

João já passou em algum antiquário destes de lojas de shoping? peças sacras são comercializadas na maior, peças que nós sabemos que já pertenceram a igrejas mas agora estão na mão do mercado negro e só voltam para o ipham quando alguem reclama o furto, isso porque as igrejas ainda existem... no caso dos bens de nossas ferrovias que não existem mais quem reclamará? e se quizer reclamar que uma locomotiva histórica está em algum ferro velho qual orgão irá acionar a PF para resgatar a mesma? será que o DNIT se incomodará com algum ferro velho? sendo ele mesmo quem atoriza os cortes.

Vocês tem razão...

Verdade mesmo, tem gente ganhando muito dinheiro com isto.

Aqui no vale foi com a EFSC, onde o material ferroviário, inclusive locomotivas, acabaram em um ferro velho de Curitiba, e seu desmonte foi autorizado pelo governo (leilão).

Responder à discussão

RSS

© 2018   Criado por Amantes da Ferrovia.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço