[ editar artigo]

O futuro do transporte ferroviário

O futuro do transporte ferroviário

 

A demanda global por transporte está em constante evolução. Dadas as tendências atuais, a locomoção de passageiros e cargas mais do que dobrará até 2050.

Esse crescimento é um símbolo do progresso social e econômico, mas traz consigo uma maior demanda de energia e aumento das emissões de CO2 e outros poluentes atmosféricos. No entanto, o transporte ferroviário tem o potencial de reduzir esse impacto.

Ferrovias de alta velocidade podem servir como alternativa para viagens aéreas de curta distância, e a ferrovia convencional (e de carga) pode complementar outros modelos de transporte para fornecer mobilidade eficiente. 

A “Internet de Trens”

 

A Internet das Coisas (na sigla em inglês, IoT), revolução tecnológica que tem como objetivo conectar à internet itens usados do dia a dia, já faz parte do sistema ferroviário em muitos países.

A Powerhouse Company (Siemens) está assumindo as rédeas da melhoria dos sistemas ferroviários do mundo, usando tecnologias como Big Data e IoT. A empresa introduziu pela primeira vez a Internet de Trens (com tecnologia IoT) no sistema ferroviário da Rússia, de Moscou a São Petersburgo. Esse sistema reduziu em 56% os atrasos nas viagens diárias.

Com isso, as pessoas começaram a usar trens em vez de carros e ônibus, mostrando um efeito positivo substancial na capacidade da Internet de Trens de melhorar a eficiência e a confiabilidade do transporte ferroviário. 

Mecanismo de funcionamento

Basicamente, vários sensores são colocados em todo o trem. Esses sensores monitoram a temperatura do motor do trem, se as portas estão fechadas ou abertas, as vibrações dos trilhos etc. 

Também são colocadas câmeras na parte externa do trem, onde os dados da imagem são enviados de volta ao sistema para leitura e interpretação. Além disso, esses sensores monitoram como os sistemas de trens estão operando e captam informações meteorológicas.

As informações coletadas desses sensores são usadas para algumas funções. Em primeiro lugar, os dados coletados são analisados ​​e usados ​​para informar quando é preciso realizar a manutenção geral e específica no trem. Por exemplo, a tecnologia permite identificar um componente que precisa ser substituído antes que ele quebre ou falhe. 

Isso não apenas aumenta a segurança dos passageiros, como também traz economia para o setor. Afinal, é mais caro consertar uma peça ou sistema completamente quebrado do que trocar o componente antes que ele falhe totalmente.

Eficiência energética

A coleta de dados ajuda a aumentar a eficiência energética do trem. As informações podem ser usadas para rastrear o desempenho de cada componente individual no trem. 

Se alguma das partes do trem estiver funcionando em um nível ineficiente, essa informação será enviada de volta para análise e a falha poderá então ser corrigida. Além disso, esses sistemas também podem ser usados ​​para monitorar todo o sistema ferroviário, não apenas um componente do trem.

Isso permite que os trens operem em velocidades ideais, já que eles conseguem identificar os trilhos livres, tornando a viagem mais rápida, uma vez que não é preciso fazer paradas ou reduzir a velocidade. 

A Internet de Trens garante que as ferrovias e trens transportem o máximo de pessoas e carga possível. Todos esses benefícios tornam o transporte ainda mais ecológico e têm enormes vantagens financeiras.

E você, já conhecia a Internet de Trens? Deixe seu comentário!

Amantes da Ferrovia
Ler conteúdo completo
Indicados para você