[ editar artigo]

China e a construção da rota subaquática

China e a construção da rota subaquática

Olá, Amante da Ferrovia! Quero começar o texto de hoje com uma pergunta: Você teria coragem de viajar em um trem de alta velocidade que de uma hora para outra começa a percorrer um túnel debaixo d'água? Parece até roteiro de filme futurista, no entanto, a China com suas construções engenhosas e avançadas, decidiu fazer desse roteiro uma realidade e desde de 2018 vem planejando a construção de uma rota subaquática para trens-bala com 16,2 Km de extensão.

Quer saber mais sobre esta obra magnífica? Continue acompanhando a leitura, tenho certeza que você não irá se arrepender!

A rota de trem-bala debaixo d’água

Em novembro de 2018, a China Railway Corporation organizou uma reunião na capital chinesa de Pequim para analisar os estudos de viabilidade técnica para a construção da nova Ferrovia Ningbo-Zhoushan. A linha conectará Ningbo, cidade portuária ao sul de Xangai até Zhoushan, um arquipélago na costa leste do País. 

O túnel subaquático fará parte do plano ferroviário Yong-Zhou, mencionado pela primeira vez em 2005, em um projeto de transporte do governo, que foi  aprovado somente em 2018. A rota terá uma extensão total de 77 Km, sendo que 70,92 Km dos trilhos serão recém-construídos, incluindo a seção submarina de 16,2 km e também a construção de uma grande ponte. Esta estrada de ferro tem como objetivos impulsionar o turismo na região e diminuir o tempo do trajeto de duas horas até a província de Zhejiang.

Quando for concluída, a Ferrovia Yong-Zhou irá conectar as estações por trens-bala que poderão percorrer uma velocidade média de 250 Km/h, e além disso, irá passar também pelos distritos de Beilun, Jintang, Dasha, Mazhao, Bajiquan, entre outros locais. A viagem atual do trajeto leva cerca de quatro horas e meia de ônibus. Já de carro a duração diminui para duas horas e meia. Com a rede ferroviária em alta velocidade, a viagem será reduzida para uma hora e meia de duração. Muita diferença você não acha?

Com um investimento de RMB 25,2 bilhões (corresponde a aproximadamente R$ 13,9 bilhões), a construção teve início em 2019 e prevê que até 2025 todo o trajeto será concluído. As obras foram retomadas em 2020, mesmo em meio a pandemia do coronavírus (Covid-19) que se alastrou pela China e por todo mundo. Para evitar riscos do surto, a Administração de Segurança Marítima de Ningbo realizou uma avaliação técnica online para retornar às atividades, assim os trabalhadores puderam voltar a fazer perfurações sob o mar.

China: A nação ferroviária

 

O País asiático enxerga nas ferrovias um grande potencial para o transporte de cargas e também de passageiros, por isso, detém de uma grande rede ferroviária que pode ser considerada a maior do mundo. Em 2017, a China possuía 124.000km de ferrovias e 22.000km de estradas de ferro de alta velocidade, a maior rede para trens-bala do planeta. Ual!

Esta enorme malha ferroviária é mais moderna e desenvolvida, pois, de forma autônoma, a tecnologia ferroviária produzida na China é a mais avançada que existe. Além de construir estradas de ferro em seu território, desenvolve projetos em outras partes do mundo, como é o caso dos países da América Latina, com o planejamento da Ferrovia Transoceânica

O governo chinês continuará expandindo os investimentos para os caminhos de ferro de alta velocidade e pretende que até 2030, a extensão alcance um total de 45.000Km. Pode parecer um projeto ambicioso, mas se compararmos com outras construções faraônicas, como a maior ponte do planeta medindo 164 Km,  a torre de Shanghai com 632 metros de altura e os sete maiores portos do mundo, com certeza esse projeto será bem sucedido!

E aí, o que achou do tema? O que você acha de um texto falando sobre a maior rota de trem-bala do mundo, que diga-se de passagem, fica na China! Deixe nos comentários. Até a próxima.







 

Amantes da Ferrovia
Ler matéria completa
Indicados para você