[ editar artigo]

Trem de carga levando coronavírus, mito ou verdade?

Trem de carga levando coronavírus, mito ou verdade?

No mês de março, usuários de mídias sociais compartilharam imagens manipuladas de vagões de trem marcados com COVID-19, alegando falsamente que os EUA estavam por trás da disseminação do coronavírus.

Uma versão mais completa da foto mostra o trem estendido com a marcação “GATX 208630” – significando que o trem pertencia à GATX Corporation, uma locadora global de vagões que opera na América do Norte.

Os vagões pertencentes à corporação não possuem uma etiqueta no local em que a palavra COVID-19 foi colocada na imagem. Parece que a descrição foi adicionada digitalmente na foto, pois a fonte é muito mais proeminente e ousada que o código GATX.

 

Na época, um usuário do Instagram compartilhou a foto com comentários sugerindo que o governo estava espalhando o vírus como uma forma de pressionar pelo teste de vacinas e, assim, poderia declarar a Lei Marcial – sistema de leis que tem efeito quando uma autoridade militar assume o controle da administração de todo o Estado!

Em outra publicação, uma pessoa afirma que a “foto reforça a tese de que a China - para dar um golpe na economia mundial-  infectou seu próprio povo, espalhando o vírus pelo mundo”.

A Association of American Railroads é a responsável por gerenciar etiquetas de identificação utilizadas em ferrovias. Segundo a Associação, essa marcação é a identificação de uma empresa para fins tarifários e contábeis.

Segundo a Railinc, uma organização que mantém dados sobre o setor ferroviário norte-americano, não há trens com o registro COVID-19. Ainda de acordo com a instituição, as regras que regem as marcas registradas permitem apenas de dois a quatro caracteres alfanuméricos – "COVID-19" não atenderia a esse padrão.

Organização Ferroviária Mundial: fornecimento de medidas concretas contra à COVID-19 aos membros e parceiros

A União Internacional de Caminhos de Ferro (na sigla em inglês, UIC), como plataforma técnica de cooperação ferroviária a nível mundial, reúne uma vasta rede de especialistas no assunto, o que permite a troca de melhores práticas para o setor.

No contexto da COVID-19, a força dessa rede é usada para oferecer aos membros e parceiros a possibilidade de trocar informações regulares sobre status e medidas preventivas, especialmente levando em conta o fato de que as ferrovias – juntamente com outros meios de transporte – apresentam um ambiente favorável para a propagação do coronavírus.

Essa força-tarefa, lançada pela UIC em 05 de março de 2020, criou um documento chamado “Gerenciamento da COVID-19: Orientação para das partes interessadas da ferrovia” – uma série de potenciais medidas para o setor ferroviário.

Por enquanto, empresas ferroviárias têm enviado contribuições de todo o mundo, incluindo: Áustria, Bulgária, Canadá, China, Dinamarca, França, Alemanha, Hungria, Irã, Israel, Itália, Japão, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Coreia do Sul, Espanha, Holanda e Estados Unidos da América.

Vale lembrar que este documento continuará sendo atualizado durante toda a crise e a UIC está publicando as contribuições contínuas de seus membros para ajudar a todos no gerenciamento da resposta global à COVID-19.

Para quem tem interesse em participar do Grupo da Força-tarefa COVID-19, basta se cadastrar no LinkedIn.

E você, como tem lidado com as fake news? Deixe seu comentário! :)

Amantes da Ferrovia
Ler matéria completa
Indicados para você