[ editar artigo]

Tren Crucero: Uma aventura memorável pelos Andes

Tren Crucero: Uma aventura memorável pelos Andes

Se você é um ferro-fã e sonha em viajar de trem pelas Américas, provavelmente já leu “The Old Patagonian Express: De trem pelas Américas”, escrito por Paul Theroux. Um dos destaques da obra é o Tren Crucero, do Equador, que leva os passageiros em uma exploração de quatro dias de cultura, comidas e beleza natural dos Andes e da costa do Pacífico entre Quito e Guayaquil.

Porém, nas décadas de 80 e 90, as ferrovias equatorianas sofreram alguns danos. Continue a leitura para saber um pouco mais sobre essa história...

O grande trem a vapor reviveu

 

No Equador, os trens estavam parados desde o final dos anos 80. As fortes chuvas de inverno causadas pelo El Niño em 1982 destruíram um trecho da ferrovia entre Huigra e Bucay, e nos anos seguintes os danos causados pelo fenômeno continuaram. Para ter uma ideia, em 2008, apenas 10% da rede ferroviária equatoriana estava operacional.

Até 2014, o governo equatoriano gastou cerca de US$ 280 milhões na reforma da ferrovia nacional. 

Porém, o carro-chefe do renascimento da ferrovia é o Tren Crucero, um trem de luxo a vapor reformado que opera um novo serviço andino entre Guayaquil e a capital de Quito – a 2.849 metros da capital mais alta do mundo.

O Tren Crucero segue uma linha de bitola estreita de 453 km (282 milhas), originalmente construída entre 1897 e 1908 ao longo da espinha andina do Equador.

A ferrovia foi construída para conectar as duas principais cidades do Equador: Quito, nos Andes, e Guayaquil, no Pacífico. Tenha certeza de que essa é uma das viagens ferroviárias mais emocionantes do mundo.

Os novos carros do trem, construídos em Madri, são “puxados” por locomotivas a vapor restauradas. A mais antiga é de 1900 e foi projetada pelo fabricante americano Baldwin, da Pensilvânia.

Vale lembrar que construir uma linha férrea pelos Andes não foi fácil: um afloramento rochoso em particular exigia uma engenharia incrível. Esse local agora é chamado de Nariz do Diabo e o Tren Crucero passa por ele usando uma série complicada de trilhos que se alternam (trajeto em zig-zag) ao longo do trecho íngreme.

Hotel sobre rodas

O trem em si é luxuoso e confortável, com muitas janelas grandes, áreas de estar e mesas para relaxar e ver o mundo passar lentamente.

Os quatro vagões de primeira classe com ar-condicionado (dois carros de passageiros no estilo colonial e republicano) têm um estilo equatoriano diferente e transportam um total de 50 passageiros. 

Carro 1: Estilo Barroco do Período Colonial Espanhol 

Este carro está equipado com mesas e cadeiras para 30 pessoas. Lá você pode desfrutar de um aperitivo leve ou ler um bom livro. Existem armários pessoais onde você pode guardar seus pertences.

Carro 2: Estilo neoclássico do Período Republicano Equatoriano

Este carro está equipado com mesas e cadeiras para até 24 passageiros. Lá você pode se divertir com jogos de tabuleiro ou ter uma conversa entre amigos.

Carro 3: Estilo Hispânico e Cosmovisão Andina

O terceiro carro tem uma loja de artesanato, janelas panorâmicas e uma cafeteria, onde a equipe serve lanches e bebidas requintadas da gastronomia local.

Carro 4: Estilo Clássico da Região Costeira

O último carro é dividido em dois ambientes. O primeiro é um salão para atividades sociais; o segundo tem um terraço aberto, onde os passageiros podem apreciar as majestosas paisagens equatorianas.

A viagem de 280 quilômetros de Quito a Guayaquil leva quatro dias e três noites (com paradas e hotéis inclusos), atravessa os Andes e passa por florestas nubladas e paisagens costeiras tropicais.

Que tal você planejar essa viagem espetacular com uma agência de turismo? :)

Amantes da Ferrovia
Ler conteúdo completo
Indicados para você