[ editar artigo]

A baroneza: O primeiro trem do Brasil

A baroneza: O primeiro trem do Brasil

Se você tem acompanhado nossa comunidade, já viu que têm alguns textos que abordam temas históricos, desde o início do trem no Brasil, como as históricas locomotivas ML 400, até os temas relevantes nos dias atuais, como por exemplo o mito da Ferrovia Norte-Sul. Falamos também das inovações e contribuições do Visconde de Mauá para a construção das primeiras ferrovias brasileiras. Se ainda não viu recomendo você a ler os artigos por que estão bem legais! Agora chegou a hora de falarmos da primeira locomotiva que circulou pelas terras tupiniquins, a famosa Baroneza. Foi por meio dela que se deu o início da revolução do transporte no Brasil.

Se chegou até aqui na leitura é por que ficou curioso para saber mais, não é mesmo?! Então continue a mergulhar nesse memorial da história Brasileira!

Os primeiros trilhos percorridos

O desenvolvimento do transporte ferroviário na Inglaterra foi consequência direta da Revolução Industrial, que começou a ganhar força em 1830. Com isso, Dom Pedro II viu a necessidade de colocar o Brasil nos trilhos também. Foi aí que surgiu a ideia das construções das estradas de ferro, que seria um importante passo para uma nova era para a nação brasileira. 

Apesar de ser algo grandioso, e que revolucionaria a economia nacional, as pessoas deram pouca importância ao fato. Foi só após Irineu Evangelista de Souza, o Visconde de Mauá, construir a primeira ferrovia do país, chamada de Estrada de Ferro Mauá, que o povo finalmente se deu conta do que estava acontecendo.

 

A inauguração oficial aconteceu no dia 30 de abril de 1854, onde circulava pela primeira vez a Baroneza, guiada pelo Visconde num trecho de 14,5 Km a uma velocidade de 36 Km/h. O evento foi tão importante para a época que contou com a presença do Imperador Dom Pedro II e de toda a sua Comitiva Imperial.

 

Se você imaginou que o nome da locomotiva teria relação com alguma celebridade da época, a resposta é sim! Dom Pedro decidiu batizar o trem em homenagem à esposa do Visconde de Mauá, Dona Maria Joaquina, como forma de gratidão pelas contribuições industriais. 

Da construção aos dias de hoje 

A Baroneza, foi construída em 1852 pela empresa Willian Fair Brains & Sons na cidade de Manchester, na Inglaterra. Além da beleza do seus cobres polidos, a locomotiva a vapor do tipo 2-2-2, possuía sete metros e meio de comprimento, pesava 17 toneladas e dois metros e meio de largura. 

No ano seguinte, Mauá comprou o trem e o trouxe para o Brasil, onde mais tarde, foi vendido para outras empresas. A Locomotiva serviu por muitos anos ao Imperador Dom Pedro II, e foi retirada de tráfego em 1884, porém, algum tempo depois, voltou ao serviço para transportar o Rei Alberto I da Bélgica, um ilustre visitante.

É um dos modelos mais antigos de máquina a vapor que se conhece, com apenas dois exemplares em todo mundo, um no Brasil e outro na Inglaterra. Foi incorporado como patrimônio nacional na data do seu centenário, em 20 de abril de 1954 e se transformou em um marco da história do ferroviarismo mundial, por seu importante papel como pioneira no campo ferroviário do Brasil.

O trem já desfilou como principal atrativo de eventos em São Paulo e foi uma das atrações do quarto centenário do descobrimento do Brasil em 1900, no Rio de janeiro. É preservada como patrimônio histórico nacional - a única locomotiva transformada em monumento cultural  pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional -.Atualmente, a Baroneza está no Museu Ferroviário do Engenho de Dentro, da RFFSA, localizado na cidade do Rio de Janeiro.

Se hoje temos trens modernos que cortam de norte a sul, é a locomotivas passadas, e parte dessa história, é graças a Baroneza, que veio para revolucionar o transporte no Brasil.

Gostou do artigo? Conte pra gente o que achou do tema? Ah, você também pode escrever textos em nosso blog, aproveite esse espaço para contar suas experiências no mundo ferroviário!

Amantes da Ferrovia
Ler conteúdo completo
Indicados para você